quinta-feira, 2 de setembro de 2010

CAP 3

Sem muito tempo para pensar e no fundo pensando que seria um bom partido para a filha, sela o pacto com o malvado e marcam o casamento que fica acordado para menos de um mês.



Nessa mesma tarde Linda leva uma encomenda de maçãs vermelhas e perfumadas a casa de uma distinta senhora do outro lado do bosque. Ela que nada sabe do acordo que seu pai havia feito, continua a sentir-se livre, continua a sonhar com o seu amor imaginário, perde-se em pensamentos longínquos e perde a noção da realidade. Senta-se junto ao lago e imagina um jardim do Éden encantado, onde só ela e o seu amado podem entrar e onde liberta do seu mais intimo, desejos reprimidos na sua vida real.
Inclinando-se de pé sobre o lago, tentando olhar-se no seu espelhado,as maçãs que transportava numa cesta de asas caem ao mesmo e espalham-se manchando parte do mesmo de vermelho. Sem saber o que fazer, pensa entrar nele descalçando-se e mergulhando o delicado pé nas suas águas turvas cheias de nenúfares; mas não consegue chegar-lhes, se entra no lago vai ficar molhada e não poderá fazer assim a entrega. Despe-se então e mergulha nas suas profundezas como se a magia do mesmo a fizesse perder a consciência.



Os limos acariciam-lhe a pele, é um mergulho carregado de magia, os seus longos cabelos soltam-se por entre as partículas de água, movimentando-se numa dança aquática tal qual sereia do lago em deleite. Deixa-se levar abrindo os olhos e apreciando os raios de sol que penetram o encantador lago.
Sentindo-se assustada emerge.
- Que lindo! Que mágico! Quase senti a presença dela. Como ela gostava de vir comigo até ao lago. Aqui sinto-me protegida mãe!
Mergulha, abrindo os olhos novamente e aprecia o espectáculo. A claridade do sol provoca o vislumbrar de um maravilhoso mundo aquático, ente espaços de luz e tenebrosas zonas. É o brilho dourado que mais a atrai, as partículas luzidias que se transformam constantemente criando formas, dançando á sua volta. Os peixes mexem-se num rodopio sedutor, apelando ao desejo e as lianas desta selva submersa ganham vida própria e jogam com os efeitos de luz e com os seres que habitam nesse maravilhoso mundo.
Falam-lhe através dessa dança, de amor, paixão, … de pura magia.
Volta a emergir e mantém durante um longo bocado os olhos fechados na direcção do sol, pedindo-lhe mudamente que nunca lhe apague da memória tal visão.
- É aqui no bosque, junto a este lago que tanto a ele me atrai, que me sinto plenamente feliz.
Confessa-se .
Linda sente que aquele lugar guarda algum mistério ligado a ela. Será a sua mãe a responsável por tal? Porque se sente tão “ela” neste lugar de puro amor?

1 comentário:

  1. Neste capitulo o lago ganha vida.
    Será que tem algo a ver com a sua mãe?

    ResponderEliminar